• Câncer de mama

    Câncer de mama

    O que é câncer de mama?
    O câncer acontece quando há um descontrole no processo de multiplicação das células. As células do nosso corpo multiplicam-se o tempo todo e muitas vezes, algumas células novas saem com defeito, mas o nosso sistema imunológico entra em ação e destrói essas células defeituosas. O câncer acontece quando o sistema imunológico não consegue destruir as células defeituosas, elas se multiplicam e formam um tumor, que pode invadir outros tecidos. Quando esse processo ocorre nas células da glândula mamária, é chamado de câncer de mama.
    O câncer de mama tem cura?
    Sim! O câncer de mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres, mas, se diagnosticado e tratado precocemente, tem chances de cura bastante elevadas, que podem chegar aos 100%.
    O que causa o câncer de mama?
    Ainda não conhecemos todos os fatores que causam o câncer de mama, porém sabemos que há alguns fatores que aumentam a probabilidade de seu desenvolvimento: fator genético, idade acima de 40 anos, primeira gravidez tardia, primeira menstruação precoce, menopausa tardia, antecedente pessoal de câncer, antecedentes familiares de primeiro e segundo graus (avó, mãe, tia, irmã e filha) de câncer de mama, dentre outros.

    Como se detecta o câncer de mama?
    O melhor método para se diagnosticar precocemente o câncer de mama é a mamografia. Através da mamografia podemos detectar o câncer de mama antes mesmo dele se tornar um nódulo, quando ele mede apenas milímetros. Essas lesões são as que apresentam tratamento menos invasivo e as maiores chances de cura.

    A mamografia, no entanto é um exame indicado principalmente para as mulheres acima de 35 anos, pois nas mulheres muito jovens não apresenta uma sensibilidade tão boa, devido à alta densidade do tecido mamário, que pode obscurecer lesões. Outras opções que podem auxiliar na detecção do câncer de mama na faixa etária abaixo dos 35 anos são a ultrassonografia e a ressonância magnética.

    Quais são sintomas do câncer de mama?
    Em geral os sintomas aparecem em uma fase mais tardia, quando já há nódulo. Por isso o ideal é fazer a mamografia antes mesmo que eles apareçam.

    São os seguintes:
    - retrações no mamilo ou na pele,
    - secreções papilares espontâneas (líquido que vaza do mamilo espontaneamente),
    - alterações no tamanho ou formato das mamas,
    - nodulações ou abaulamentos nas mamas ou axilas.
    OBS: Esses sintomas são úteis para alertar sobre a necessidade de procurar um médico, porém não significam necessariamente a presença de câncer, já que podem também ser causados por alterações benignas da mama.

    Como posso fazer a prevenção do câncer de mama?
    Infelizmente ainda não conhecemos nenhum método que faça a prevenção primária do câncer de mama, ou seja, que possa evitar que ele apareça.

    O que está ao nosso alcance é ter hábitos saudáveis, que sabidamente reduzem a possibilidade de ocorrência de vários tipos de câncer, como: não fumar, ingerir dieta rica em fibras e pobre em gordura, praticar exercícios físicos no mínimo três vezes por semana e evitar contato com agentes químicos cancerígenos.
    Além disso, podemos fazer a prevenção secundária, ou detecção precoce. Estima-se que desde o início do câncer até que ele se torne um nódulo palpável de 1,0 cm existe um intervalo de cerca de 10 anos. Nesse período o método mais eficiente para detectá-lo é a mamografia, que pode detectar tumores com poucos milímetros. Além disso é importante realizar o autoexame e o exame com o médico com regularidade. O exame realizado pelo médico ou por enfermeiro treinado permite o diagnóstico de tumores com um ou mais centímetros de diâmetro, enquanto o autoexame, realizado mensalmente após o período menstrual permite detectar tumores a partir de dois ou três centímetros de diâmetro.

    O câncer de mama é hereditário?
    Não, porém existem alguns fatores genéticos que tornam determinadas pessoas mais sensíveis à ação dos fatores que desencadeiam o câncer, por isso essas pessoas têm uma probabilidade maior do que as outras em desenvolver a doença. As pessoas que têm risco aumentado de ter câncer de mama devido à hereditariedade são aquelas que têm casos de parentes próximas (avó, mãe, tia, irmã e filha) com câncer de mama ou de ovário e que tenham sido acometidas com menos de 40 anos. Atualmente, existe o teste genético, que detecta se a pessoa tem a mutação genética que predispõe ao câncer de mama.

    A hereditariedade é responsável por apenas 10% dos casos de câncer de mama, ou seja a maioria das pessoas que desenvolve câncer de mama não tem antecedentes familiares da doença.

    Deixe um comentário →

Deixe um comentário

Cancelar Comentário

Photostream