• MAMA MASCULINA

    MAMA MASCULINA

    Os homens também nascem com as glândulas mamárias, no entanto, quando chegam à puberdade, enquanto as meninas apresentam aumento dos hormônios estrógeno e progesterona, que estimulam o desenvolvimento das mamas, os meninos apresentam aumento da testosterona, hormônio que faz com que ocorra a atrofia e involução da glândula mamária. Sobra então, nos homens, uma mínima quantidade de tecido glandular que fica localizada logo atrás do mamilo. 

    Esse tecido glandular residual pode ser alvo de alguns problemas, como a ginecomastia e alguns tumores, entre eles o câncer de mama.

    GINECOMASTIA:
    Ginecomastia é o nome dado ao aumento do volume das mamas masculinas. Esse aumento pode estar associado ao acúmulo de tecido gorduroso na região (“falsa ginecomastia”), ao aumento do tecido glandular (“ginecomastia verdadeira”) ou ao aumento de ambos os tecidos, gorduroso e glandular.
    Pode ser uni ou bilateral. Na ginecomastia verdadeira muitas vezes, além do aumento das mamas, o que se percebe é a presença de uma nodulação na região atrás do mamilo, móvel e dolorosa.
    As principais causas da ginecomastia são:
    1. Fisiológicas: em recém nascidos, na puberdade* e em idosos
    2. Uso de algumas drogas: maconha, hormônios esteroides, cimetidina, alguns diuréticos, digitálicos, antidepressivos tricíclicos, estrógeno
    3. Em algumas doenças crônicas: cirrose hepática e doença renal crônica
    4. Na síndrome de Klinefelter, deficiência do hormônio pituitário, no hipertiroidismo e no hipogonadismo.
    5. Na presença de alguns tumores: tumor de células germinativas, tumor de células de Leydig, tumor de células de Sertoli, tumores adrenocorticais, tumores da pituitária e hepatomas.
    6. Idiopática: quando não é possível associar a ginecomastia a nenhuma causa conhecida.
    * na puberdade cerca de 2/3 dos meninos apresentam ginecomastia, sendo que o pico de ocorrência é entre 13-14 anos. Em geral ocorre em decorrência de um aumento de estrógenos circulante que pode estar associado a aumento da gordura corporal, já que a gordura pode fazer a conversão da testosterona em estrógeno. Normalmente é bilateral, e se resolve espontaneamente em dois anos.
    Uma parte dos casos de ginecomastia pode reverter ao se retirar o fator desencadeante. Nos casos em que a ginecomastia não é reversível pode-se optar pelo tratamento cirúrgico, que pode ser desde uma lipoaspiração local (no caso da falsa ginecomastia) até uma cirurgia para retirada da glândula mamária através de incisão periareolar (ao redor do mamilo).

     

     

    TUMORES BENIGNOS NA MAMA MASCULINA

    Os tumores benignos que afetam a mama masculina são bastante raros.
    1. Schwanoma: é um tumor da bainha dos nervos periféricos, que raramente acontece na mama. Costuma se manifestar como um nódulo indolor, macio e regular à palpação, visível na mamografia e na ultrassonografia. Diagnóstico por biópsia e tratamento cirúrgico (retirada do nódulo).
    2. Papiloma: é um nódulo que cresce dentro de um ducto mamário, em decorrência da proliferação de células epiteliais. Geralmente se manifesta como uma descarga papilar (saída de líquido pelo mamilo) ou como nódulo palpável na região retroareolar. A ultrassonografia é um bom exame para identifica-lo; o diagnóstico definitivo é feito através da biópsia e o tratamento é a retirada cirúrgica do nódulo.
    3. Angiolipoma: é um nódulo constituído por tecido gorduroso e vasos, que pode ser identificado na mamografia e na ultrassonografia. Diagnóstico através de biópsia. Pode ser feito apenas controle do mesmo através de US ou tratamento cirúrgico (retirada do nódulo).
    4. Lipoma: é um tumor benigno constituído por células de gordura. Pode ser palpável ou não; é facilmente identificado na ultrassonografia, e pode ser apenas controlado.
    5. Mastopatia diabética: é outra condição benigna que pode afetar a mama, simulando um tumor. Ocorre em portadores de diabetes mellitus tipo 1 e geralmente se manifesta como nódulo ou assimetria focal na mamografia e na ultrassonografia. O diagnóstico é feito através de biópsia.
    6. Hematoma: traumas podem levar à formação de hematomas, que podem ser identificados na mamografia ou na ultrassonografia.
    7. Abcesso: são processos infecciosos locais associados à dilatação ou obstrução dos ductos mamários. Costumam provocar dor, inchaço e vermelhidão no local, acompanhadas ocasionalmente de saída de secreção pelo mamilo. É bem identificado na ultrassonografia, e a biópsia pode fazer o diagnóstico definitivo, estabelecendo também a bactéria causadora do processo, para que o tratamento possa ser individualizado.

     

    CÂNCER DE MAMA MASCULINO

    O câncer de mama masculino é pouco frequente, correspondendo a 0,7% de todos os casos de câncer de mama.
    A idade média do dignóstico de câncer de mama em homens é de 67 anos, e geralmente ele se apresenta como um nódulo unilateral, indolor, que pode estar associado à presença de espessamento da pele, gânglios palpáveis na axila, saída de líquido pelo mamilo e retração do mamilo.

    Há alguns fatores que aumentam o risco de câncer de mama em homens:
    - ter antecedentes familiares com câncer de mama (pai ou mãe)
    - ter mutação dos genes BRCA1 e BRCA2
    - Síndrome de Klinefelter
    - Hiperestrogenismo/tratamento com estrógenos
    - Senilidade
    - antecedente pessoal de radioterapia de tórax

     

    Deixe um comentário →

Deixe um comentário

Cancelar Comentário

Photostream